terça-feira, 27 de agosto de 2013

Moradora de rua é a única que continua presa após protestos em SP


Manifestantes ateiam fogo em mural da Copa em SP.
Imagem: Eduardo Knapp/Folhapress
Uma moradora de rua de 38 anos é a única pessoa que ainda está presa após os protestos de junho em São Paulo.

Naquele mês, 155 suspeitos foram detidos. As principais acusações foram dano ao patrimônio, furto, incêndio e incitação a violência. Até sexta-feira passada, Josenilda da Silva Santos continuava presa, apesar de a Defensoria Pública ter pedido sua libertação à Justiça.

Ela foi detida com outras sete pessoas durante a onda de saques no dia 18 de junho. Na ocasião, vândalos depredaram a prefeitura paulistana, incendiaram uma van da TV Record e uma guarita da PM no Viaduto do Chá, no centro.

Conforme a investigação policial, Josenilda furtou um cobertor, roupas e um creme hidratante de uma loja. Ela só ficou presa porque a Justiça entendeu que a desempregada deu um nome falso à polícia.

O objetivo era evitar que a polícia descobrisse que ela já tinha sido processada por roubo. Nesse caso, Josenilda foi condenada em 2009, a cinco anos de prisão. No ano seguinte, a Justiça a absolveu.

Folha de S.Paulo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...