quinta-feira, 3 de abril de 2014

Gasto dos brasileiros com almoço fora de casa equivale a 91,6% do salário mínimo




Imagem: Reprodução
Um levantamento feito em 49 municípios do país constatou que o brasileiro gasta, em média, R$ 663 por mês com o almoço fora de casa durante a semana. O valor corresponde a 91,6% do salário mínimo nacional, de R$ 724. 

A pesquisa foi encomendada pela Assert (Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador) e constatou que o preço médio da refeição no Brasil é de R$ 30,14. 


Na comparação com R$ 678, valor referente ao salário mínimo vigente quando a pesquisa foi realizada, entre novembro e dezembro do ano passado, a proporção chega a 97,8%. 

A região com a refeição completa (composta por prato, bebida, sobremesa e café) mais alta é o Centro-Oeste, com média R$ 31,44 por refeição. A com o preço mais baixo foi a região Sul, com preço média de R$ 28,20. 

Ao se considerar apenas as 21 capitais pesquisadas, Campo Grande (MS) aparece com o menor preço médio, R$ 24,53. O Rio, com custo de R$ 37,16 por refeição, ficou no topo da lista. 

Entre as outras cidades, Nilópolis, na Baixada Fluminense, e Serra, na região metropolitana de Vitória (ES), apresentaram o menor custo médio. Nesses municípios, uma refeição pode sair por R$ 17,71 e R$ 17,97, respectivamente. 

A pesquisa levou em consideração refeições comerciais (o "prato-feito"), a modalidade de autosserviço ("self-service"), e os pratos executivos, além de serviços à la carte. 

RENDA
 
Nas áreas urbanas, comer fora de casa representa 33,1% dos gastos das famílias com alimentação. Entre 2002 e 2003, gastos com refeições fora de casa comprometiam 25,7% da renda familiar. 

Já na área rural, o gasto passou de 13,1% para 17,5%. A aquisição de alimentos tem maior representatividade nos gastos mensais das famílias de baixa renda que chegam a comprometer até um terço de sua renda com alimentação. 

Para o presidente da Assert, Artur Almeida, o aumento no gasto com a alimentação fora de casa reflete dados do IBGE que indicam que os preços dos alimentos consumidos fora do lar subiram 10,07% em 2013. 

"Cada vez mais o brasileiro almoça fora. Isso se deve por uma série de fatores, como o aumento na urbanização, a maior participação da mulher no mercado de trabalho e os problemas de mobilidade urbana nas grandes cidades, que obrigam o trabalhador a ter refeições fora de casa." 

Segundo Almeira, o consumidor deve manter o hábito de pesquisar preços para economizar no fim do mês. "Percebemos, também, iniciativas interessantes como a troca de informações sobre opções de restaurantes e dicas de preços pelas redes sociais. Tudo é válido na tentativa de aliar economia a uma alimentação saudável." 

A pesquisa foi conduzida pelo Datafolha por meio de 4.681 entrevistas com padarias, bares, lanchonetes e restaurantes que trabalham com os sistemas de refeição comercial, autosserviço, executivo e à la carte que aceitam vales ou tíquetes-refeição em 49 cidades das cinco regiões do país. 

Região/Cidade Refeição Comercial Autoserviço Executivo À la carte
Sudeste 30,29 20,19 22,69 34,76 50,55
São Paulo 33,67 23,4 25,78 40,63 44,88
Guarulhos 30,79 19,02 21,72 39,05 43,36
Diadema 25,43 18,01 17,15 27,62 38,93
Santo André 30,04 19,67 22,45 33,19 44,86
São Bernardo 29,55 20,26 22,57 32,76 42,62
São Caetano 31,8 21,71 23,34 28,83 53,33
Barueri 34,17 20,69 24,16 41,9 49,94
Osasco 25,15 19,55 22,17 29,34 29,55
Taboão da Serra 21,69 21,38 21,99 - -
Campinas 35,33 21,82 24,34 41,7 53,47
Santos 35,89 24,48 25,45 34,54 59,08
S.José dos Campos 32,12 18,46 21 35,5 53,53
Jundiaí 34,08 20,38 23,08 34,23 58,63
Sorocaba 29,75 19,07 22,98 28,13 48,81
Ribeirão Preto 35,8 19,72 25,49 35,08 62,91
Rio de Janeiro 37,16 26,18 27,29 38,64 56,53
Duque de Caxias 26,98 20,33 21,19 21,94 44,44
Nilópolis 17,71 16,95 18,48 - -
Niterói 32,22 21,27 25,01 33,61 48,99
Nova Iguaçu 34 19,43 23,11 44,08 49,36
São Gonçalo 29,63 18,78 22,68 25,9 51,18
Macaé 34,98 22,85 24,71 - 57,39
Belo Horizonte 37,71 18,02 21,24 49,98 61,63
Uberlândia 18,42 17,21 19,63 - -
Vitória 34,48 22,14 23,37 34,44 57,97
Serra 17,97 15,41 20,53 - -
Vila Velha 31,43 18,99 21,75 33,67 51,32
Sul 28,2 19,8 21,03 35,93 44,24
Porto Alegre 34,86 22,81 23,04 43,35 50,26
Canoas 20,9 20,76 21,03 - -
Curitiba 31,65 21,48 21,72 36,53 46,89
S.José dos Pinhais 20,85 14,49 17,79 24,12 26,99
Florianópolis 36,41 22,19 22,5 39,71 61,24
Joinville 29,39 17,88 21,25 - 49,05
Blumenau 23,3 19,03 19,88 - 31
Nordeste 29,78 18,37 20,68 35,47 45,53
Recife 27,83 15,11 19,51 25,65 51,06
Jaboatão dos Guararapes 28,36 13,7 16,36 27,08 56,3
Salvador 32,95 20,84 23,6 42,28 45,07
Fortaleza 27,34 12,24 17,09 39,61 40,44
São Luís 27,23 20,67 21,41 - 39,61
João Pessoa 32,92 17,16 18,25 40,29 55,98
Aracaju 29,95 23,45 24,98 34,34 37,03
Natal 30,6 24,15 23,56 34,9 39,77
Maceió 30,86 17,99 21,37 39,58 44,51
Centro-Oeste 31,44 17 22,06 48,46 49,2
Goiânia 28,49 17,09 21,17 - 47,19
Brasília 36,44 20,32 22,33 45,15 57,94
Campo Grande 24,53 15,62 23,25 - 34,72
Cuiabá 36,29 14,98 21,5 51,77 56,93
Norte 30,97 17,87 25,02 - 50,01
Belém 32,46 17,03 26,36 - 54
Manaus 29,47 18,7 23,68 - 46,02

Folha de S. Paulo
Leia mais notícias do poder e da sociedade em Folha Política
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...