sábado, 24 de maio de 2014

Preso por roubo em MT usava celular no nome do ex-presidente Lula


Imagem: Divulgação / Polícia Civil
Um dos membros da quadrilha presa em Mato Grosso na quinta-feira (22) suspeita de praticar roubos a bancos usava um número de celular cadastrado com o CPF do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula. O telefone é da Operadora Vivo, tem o prefixo 66 e endereço na cidade de Natal (RN). O G1 tentou entrar em contato com a assessoria da empresa no Centro-Oeste, mas ninguém atendeu as ligações até a publicação desta matéria. A assessoria do ex-presidente informou que não vai se posicionar sobre o assunto.



O fato foi descoberto durante investigação feita pela Polícia Civi, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), de um roubo a banco ocorrido em Nova Maringá, a 382 km de Cuiabá. O assalto foi cometido no dia 23 de abril deste ano, na modalidade 'Novo Cangaço' - quando reféns são feitos de escudo humano pelos criminosos. Foram roubados R$ 442 mil da agência bancária.

Leia também: 
Pessoas ignoram baleado para recolher dinheiro derrubado por ladrões na BA
"Roubo" de 25 centímetros de montanha nos Alpes gera confusão na Alemanha
Nomes semelhantes e até apelidos levam inocentes à prisão
Dilma diz que está "sofrendo" por decisões tomadas no governo Lula; veja vídeo

O número de telefone no nome de Lula foi habilitado no dia seguinte ao roubo. A Polícia Civil confirmou com a operadora de que o CPF era mesmo o do ex-presidente. Para os policiais, a ação demonstra a ousadia do suspeito.

"Isso nos surpreendeu quando estávamos monitorando esse criminoso. Puxamos o cadastrado dele na operadora Vivo e lá constou o CPF, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e confirmamos que é de fato o CPF dele. Isso demonstra a ousadia do criminoso em utilizar o cadastro de uma pessoa extremamente conhecida", disse o delegado Flávio Henrique Stringueta.

Prisões e apreensões

No total, a polícia prendeu três pessoas de forma preventiva, uma de forma temporária e outras seis em flagrante - porém, três delas foram soltas após interrogatório por não haver requisitos para mantê-las detidas em flagrante. Uma das prisões ocorreu em Nova Mutum e, o restante, em São José do Rio Claro. 

Com os suspeitos foram apreendidas duas espingardas calibre 12, duas pistolas e um revólver calibre 38, três caminhonetes - entre elas, a usada no roubo ao banco -, duas motos, uma lancha, munições, documentos e dinheiro. Foram apreendidos ainda mais de R$ 150 mil em bens comprados com o valor roubado do banco. E, conforme a GCCO, as contas correntes de membros do bando foram bloqueadas.

Todos os suspeitos devem responder por crimes de roubo, agravado mediante concurso de pessoas e uso de armas, quadrilha armada, lavagem de dinheiro e posses de arma de fogo. Após serem ouvidos pela polícia, eles serão levados à Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá. As investigações apontaram que o bando estava se preparando para praticar novo assalto, pois os suspeitos teriam dito que precisavam conseguir mais dinheiro porque já tinham gasto o valor roubado.

Carolina Holland
G1
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...