quinta-feira, 17 de julho de 2014

Médico cubano humilha ministro e diz que Dilma é cúmplice de ditadura: 'Tem as mãos sujas de sangue'; veja vídeo


Imagem: Reprodução
O DEM convidou o médico cubano Carlos Rafael Jorge Jiménez, que fugiu da ilha e, há três anos, trabalha como médico da família no Ceará, também para falar na comissão que está discutindo o Programa Mais Médicos nesta quarta-feira (4). Jorge frisou que Cuba é a última ditadura na América e afirmou que apoiar esse tipo de governo é sujar as mãos de sangue.


"Chega de apoiar o governo dos Castro (Fidel e Raúl Castro). Quem apoia, suja suas mãos de sangue. Lembrem que os médicos não vêm só por solidariedade, mas para também ajudar suas famílias", declarou.


"O ministro [Alexandre Padilha] falou da democracia em Cuba. Não há democracia, mas uma ditadura. Em segundo lugar, os médicos cubanos não vêm fazer pós-graduação, são especialistas, ótimos médicos meus colegas cubanos", comentou Jiménez.



"Cubanos não precisam ter vínculo empregatício aqui pois têm lá, onde trabalham de 60 a 70 horas, e ganham entre 60 e 70 reais. É uma vergonha", declarou. Ele acrescentou que quando os médicos vêm para cá, ficam felizes, pois ganharão entre 200 e 300 dólares.

"O resto o patrão, o explorador, o governo cubano, os irmãos Castro, a ditadura cubana fica com ele. O governo Dilma está apoiando isso. Por que eles não vêm como os outros? Porque não podem, porque há um convênio", afirmou emocionado.


UOL
Setembro/2013
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...