sábado, 13 de setembro de 2014

Prefeitura de São Paulo quer 3.500 casas populares para liberar megatemplo da Universal


Imagem: Reprodução/Calam1
Um mês e meio após a festa de inauguração, a Prefeitura de São Paulo quer exigir da Igreja Universal a construção de 3.500 moradias populares para regularizar o Templo de Salomão, erguido no Brás, centro da cidade.


O maior espaço religioso do país, com 100 mil m² de área construída, teve as portas abertas com o respaldo de um alvará provisório emitido pela gestão de Fernando Haddad (PT) em 19 de julho - 13 dias antes da abertura.

A nova contrapartida foi sugerida pela Secretaria de Licenciamento em documento já enviado ao Ministério Público Estadual, que investiga a construção do templo desde fevereiro.

Veja também:
Edir Macedo é absolvido da acusação de falsidade ideológica em venda de TV em SC
Dilma prestigia seu único aliado evangélico, Edir Macedo: participará da inauguração de templo
Dilma prestigia seu único aliado evangélico, Edir Macedo: participará da inauguração de templo que custará mais de R$400 milhões
20 coisas surpreendentes sobre o templo da Igreja Universal
Promotoria quer fechar megatemplo da Igreja Universal em São Paulo

No inquérito instaurado pelo promotor de Justiça Maurício Antonio Ribeiro Lopes são apuradas algumas supostas irregularidades, como o fato de a Igreja ter sido construída com base em um alvará de reforma.

A exigência aventada pela prefeitura, no entanto, diz respeito a outra regra que teria sido burlada pela Universal. O zoneamento onde está o templo foi definido pelo Plano Diretor de 2004 como Zona Especial de Interesse Social (Zeis). Por isso, a área deveria ser reservada à construção de moradias populares, o que não ocorreu.

Com o templo erguido, os vereadores regularizaram o espaço durante a votação do novo Plano Diretor. Em 30 de junho deste ano, ficou definido que a área não mais seria classificada como Zeis, em uma tentativa de anistiar a Universal. Os parlamentares da base aliada do governo na época justificaram que não fazia mais sentido manter o zoneamento porque a obra já estava pronta.

Veja também:
Bispo Edir Macedo, da Universal, doa R$10 milhões à campanha da aliada Dilma Rousseff
Custo de templo da Universal é suficiente para construir 6 grandes hospitais ou 378 escolas, aponta levantamento
Após ameaça, Serrão responde e se recusa a retirar texto em que expõe R$10 milhões em doações de Bispo Macedo a Dilma
Após ameaças, apresentador desafia Bispo Edir Macedo a se explicar em programa; assista
Bispo Macedo aumenta seu império e se torna banqueiro com interferência polêmica de Dilma
Edir Macedo se muda para cobertura de luxo de 1000 m² no Templo de Salomão
União dos Juristas Católicos de São Paulo adverte: ‘Teremos surpresas após as eleições’

A decisão ainda atendeu à pressão de um dos principais grupos do Legislativo Municipal: a bancada evangélica, hoje com dez representantes. São vereadores eleitos com o apoio de fiéis da Igreja Mundial, da Igreja da Graça, da Bola de Neve e da Assembleia de Deus, além da própria Universal.

Durante a negociação, todos os vereadores receberam convites para a inauguração, que ocorreu em 31 de julho com a presença da presidente Dilma Rousseff (PT).

Contrapartida
Acionada pela Promotoria de Habitação e Urbanismo, a prefeitura agora quer assegurar que o Templo de Salomão oferecerá as contrapartidas sociais que deveriam ter sido cobradas em agosto de 2008, quando a igreja protocolou o pedido oficial de construção.

Pelas regras do Plano Diretor em vigor durante toda a obra, a Igreja deveria construir conjuntos de habitação social para ao menos 400 famílias, se quisesse obter autorização para atuar em área de Zeis. A condição, no entanto, não foi cumprida e, mesmo sem erguer nem sequer uma moradia, a obra do Templo de Salomão foi autorizada em 22 de outubro de 2008. O Ministério Público Estadual investiga se houve irregularidade na emissão das licenças e na construção.

Veja também:
274 candidatos usam 'pastor' ou 'bispo' nas urnas
Pr. Silas Malafaia entra em guerra contra PT e diz que o Brasil está virando ditadura; assista ao vídeo
'O ídolo de Lula e Dilma é Fidel Castro, o bandido que bota opositores na cadeia e mata', alerta Malafaia
STF arquiva ação penal contra Marco Feliciano por estelionato
Igreja Universal burlou as leis para construir o Templo de Salomão

MP quer acordo
O promotor Maurício Ribeiro Lopes se reuniu na segunda-feira com representantes da Igreja Universal, na tentativa de assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). O objetivo é restabelecer parte das contrapartidas não exigidas durante o processo de obra, além de amenizar os impactos no trânsito local. Procurado, Lopes não quis revelar o teor das propostas apresentadas à igreja. Já a Universal afirmou, por meio de nota oficial, que só vai se manifestar sobre a proposta apresentada pelo Ministério Público Estadual no momento oportuno. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Estadão Conteúdo via UOL
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...