quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Grupo invade área seca de represa para construir casas em São Paulo


Imagem: Reprodução / TV Globo
A escassez de chuvas alterou de maneira drástica a paisagem das represas que abastecem a Grande São Paulo: em grandes perímetros onde antes havia água, hoje vê-se solo seco ou mato. Reportagem do telejornal Bom Dia São Paulo, da Rede Globo, mostrou nesta quarta-feira que um grupo já se aproveita dessa situação para invadir as margens da represa Billings, na Zona Sul da capital paulista, e estabelecer acampamento. Há cerca de quatro meses homens limpam o terreno e colocam cercas para demarcar os futuros lotes. Segundo a reportagem, pelo menos 100 famílias pretendem se estabelecer ali.



Ocupantes ouvidos pelo jornal afirmam que a intenção do grupo é começar a construir as casas o mais breve possível. "Vamos fazer casa para morar. Ninguém mais aguenta pagar aluguel", afirma um dos invasores. E conta: o grupo já chegou até a construir uma rua no local. "Que a represa não suba, porque se subir acaba tudo", completa.

Leia também:
Caixa sobe juros do financiamento da casa própria
Mais de 190 mil famílias ainda esperam casas da primeira fase do Minha Casa Minha Vida
Terrenos de SP reservados para novos parques são invadidos por movimentos sociais

O terreno pertence à Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae). Funcionários do órgão, segundo o grupo de invasores, costumam visitar o local, mas nunca os abordaram acerca do loteamento. Procurada pela reportagem do telejornal, a Emae afirma que pediu à Justiça, em 2008, a reintegração da área ocupada irregularmente. Além desta invasão, há outras construções, mais antigas, à beira da represa. A subprefeitura de Cidade Ademar alega que já efetuou diversas ações para retirar as famílias do local. E apreendeu vários materiais de construção para evitar novas ocupações na área.

Veja também:



Veja
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UOL Cliques / Criteo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...