segunda-feira, 15 de maio de 2017

'Ganhou com nosso dinheiro roubado no Petrolão, eu sempre avisei que Dilma era um poste eleito pela corrupção e pelos marqueteiros', afirma Levy Fidelix após novas delações


Imagem: Montagem Ilustrativa / Política na Rede
Presidente do PRTB e candidato à Presidência da República em 2014, Levy Fidelix pronunciou-se a respeito das delações de João Santana e Mônica Moura, marqueteiros que "entregaram o jogo" no que tange à campanha de Dilma Rousseff e ao modus operandi do PT.

"Criaram um mundo rosáceo da Dilma. Dizia que tudo estava bem e perfeito, eles mostravam todo mundo com escolas, hospitais, segurança, mas a realidade era bem diferente. A política econômica já mostrava uma dívida interna estratosférica, mais de dois trilhões!", afirma ele.


"É um jogo desonesto, vil, podre!", classificou. "Não há como competir com quem assaltou os cofres da nação e comprou emissoras de TV, jornais, mídias na internet, artistas e personalidades com o dinheiro surrupiado do povo brasileiro!", alega. 

De acordo com Fidelix, o Brasil viveu uma "farsa democrática" nos últimos anos. "Jamais podemos dizer que vivemos em uma república democrática nos últimos. Podemos dizer que foi a 'República da Odebrecht' ou a 'República dos Marqueteiros', mas jamais democrática. O que fizeram foi escolher um poste, uma marionete, e colocá-lo para repetir frases de efeito cuidadosamente elaboradas por uma equipe de marqueteiros, visando tão-somente enganar o povo brasileiro e ganhar mais e mais poder", classifica.

Fidelix ainda desaprova e faz uma reprimenda à capacidade de Dilma: "Nem isto essa senhora soube fazer. O povo brasileiro foi enganado, ludibriado, traído e conduzido a eleger uma incapaz que não consegue nem mesmo manter a coerência em seus discursos, fazendo pronunciamentos ininteligíveis que a tornaram motivo de piada! Além de incapaz tecnicamente, agora sabemos, com as novas delações, que se trata de uma desqualificada moralmente", concluiu.

Leia também:
Juristas dizem que Cardozo cometeu crime ao informar Dilma sobre operações da PF
'A palavra final [dos esquemas] tinha de ser sempre do chefe, e o chefe era Lula', denuncia marqueteiro João Santana


Veja também: 





Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...