quinta-feira, 27 de julho de 2017

Eduardo Bolsonaro propõe criminalização do comunismo no Brasil: 'Mataram mais de 100 milhões de pessoas e implantaram censura à imprensa e a religiões'


Imagem: Produção Ilustrativa / Política na Rede
Um projeto de lei do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) pretende criminalizar a apologia ao comunismo. A proposta tem o objetivo de alterar a Lei Antirracismo (7.716/89) ao incluir os crimes previstos o de "fomento ao embate de classes sociais". A pena prevista na lei vigente é de um a três anos de prisão e multa.



Se aprovado, o projeto do parlamentar também punirá quem comercializar, fabricar, distribuir ou veicular símbolos ou propagandas com o símbolo da foice e do martelo ou quaisquer outros meios de divulgação relacionados ao comunismo. A pena, atualmente aplicada para apologia ao nazismo, estabelece reclusão de dois a cinco anos e multa.

Leia também: 

Bendine recolheu Imposto de Renda sobre a propina
Delegado Waldir apresenta projeto para que preso tenha de pagar pelo custo da prisão e pede ajuda do povo brasileiro
'Benefícios e responder em liberdade, só para quem devolver tudo que roubou', propõe Álvaro Dias sobre combate à corrupção
'Não se está criminalizando a política. Muitos políticos é que estão cometendo crimes', retruca procuradora


Eduardo Bolsonaro afirma que os regimes comunistas mataram mais de 100 milhões de pessoas no mundo e introduziram a censura à imprensa, a opiniões e a religiões. "Mesmo assim, agremiações de diversas matizes, defendem esse nefasto regime, mascarando as reais faces do terror em ideais de igualdade entre as classes sociais", diz o texto do projeto.

O projeto está em tramitação nas Câmara dos Deputados e antes de ir a plenário deve passar pela Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ).


Veja também:









O Povo
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...