sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Deputado da tatuagem pede 'nude' durante votação


Imagem: Lula Marques / Estadão
O polêmico deputado federal Wladimir Costa (SD-PA), que ficou conhecido nesta semana por ter tatuado o nome do presidente no ombro direito, foi flagrado nesta quarta-feira, 2, durante a sessão de votação sobre a denúncia contra Michel Temer (PMDB), pedindo um "nude" de uma mulher por meio do WhatsApp. Segundo o parlamentar, a mensagem era uma resposta a um "pedido insistente" da moça para ver sua tatuagem no plenário.



"Ela me encheu o saco para eu mostrar a tal da tatuagem. Eu não preciso estar provando nada. Como posso tirar a camisa e correr o risco de crime de responsabilidade dentro do plenário?", disse o parlamentar. "Não estava pedindo para ela mostrar. A bunda mais bonita que conheço é a da minha esposa". 

Apesar da justificativa, o deputado fez questão de dizer que "incontestavelmente as mulheres brasileiras possuem os bumbuns mais lindos do planeta."

Leia também: 

Câmara começa a votar ‘bolsa eleição’ na terça-feira
Senadora Ana Amélia denuncia que Lula lidera 'radicalização' que pretende transformar o Brasil em Venezuela; veja vídeo


Na mensagem, o deputado escreveu, por volta das 17h27: "Mostra a tua bunda afinal não são suas profissões que a destacam como mulher é sua bunda. Vai lá põe aí garota". O registro de seu celular, feito pelo fotógrafo Lula Marques, é do momento em que os deputados ainda discutiam o parecer que pedia o arquivamento da acusação contra Temer.

Em outra mensagem, Wladimir diz ao mesmo contato: "Fátima Bernardes, Sonia Abrãao, Marilia Gabriela, Mariza Godói são elogiadas, respeitadas e até desejadas pelas suas capacidades técnicas e não por um par de bunda, já bastante banalizada por todo o Tapajos do decano sortinho preto que reveza com o vermelhinho já bastante desbotado pelos anos". 

A moça rebate a mensagem do deputado. "Você poderia perder seu valioso tempo com coisas mais interessantes", diz. 

Nesta quarta-feira, Wlad voltou a causar alvoroço ao levar dois bonecos Pixuleco, uma referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ao plenário. Um deles chegou a ser tomado pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que tentou destruí-lo com a boca. 

A famosa tatuagem, porém, não foi mostrada no plenário. Na última segunda-feira, 31, o desenho em homenagem a Temer agitou as redes sociais com discussões sobre a permanência - ou não - da tatuagem. O parlamentar garante que sim, mas o Estado ouviu um tatuador que afirmou que o apoio foi feito a base de henna.

Veja também:





O Estado de S.Paulo
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...