segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Em relatório, Fachin lista 27 crimes atribuídos a Collor que somam mais de R$ 50 milhões


Imagem: José Cruz / Agência Senado
O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), preparou um relatório das acusações que pesam contra o senador Fernando Collor (PTC-AL). No documento de trinta páginas, disponibilizado aos colegas da Segunda Turma do STF, Fachin lista os crimes atribuídos ao parlamentar pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Foram apontados quatro casos de corrupção passiva, que envolvem montante superior a R$ 50 milhões, mais 20 acusações de crime de lavagem de dinheiro. O julgamento da denúncia está previsto para ocorrer nesta terça-feira (15).



Narra o relatório de Fachin, com base na investigação da PGR, que, "entre 2010 e 2014, funcionou, na BR Distribuidora, uma organização criminosa com o propósito de desviar recursos em proveito particular, corromper agentes públicos e branquear valores, essencialmente pela influência, junto à sociedade de economia mista, do PTB, notadamente do seu senador pelo Estado de Alagoas, o acusado Fernando Affonso Collor de Mello". 

Leia também: 

Procuradora alerta a população: 'O Combate à Corrupção não tem partido e não tem cor. Quem praticou corrupção deve ser investigado e julgado. Emendas parlamentares milionárias estão sendo liberadas para deputados federais em troca de voto contra a denúncia criminal de corrupção'
Lindberg Farias tenta distorcer informação e leva 'pisada' do senador José Medeiros
Temendo rebeliões, governo desiste de acabar com auxílio-reclusão
Senadora Ana Amélia 'rompe o silêncio' e destroça 'bolsa-político' de bilhões: 'Quando faltam leitos nos hospitais, faltam vagas nas escolas e falta segurança, como explicar a sociedade que os partidos terão R$ 3,6 bilhões de recursos públicos para a campanha eleitoral?'
Fomos convidados ao Jaburu, à noite, e nos recusamos, diz procurador da Lava Jato
Janot corre para concluir delação da OAS antes do fim de seu mandato
‘Pai’ da Lava Jato diz que PGR tenta ‘reduzir a capacidade da polícia’ de investigar
Irmãos Batista continuam escondendo o 'sócio oculto da Friboi', diz procurador

'Mas para o carnaval tem 13 milhões, né?', questiona procurador após ministro da Justiça dizer que falta de dinheiro deve afetar operações da PF

Além dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, há três acusações da PGR contra o senador: organização criminosa, da qual Collor é apontado como comandante; de peculato, por ter empregado em seu gabinete duas pessoas envolvidas com os desvios sem que elas tenham efetivamente prestado serviço de assessoramento parlamentar; e de tentativa de obstrução da Justiça, por causa de "estorno de créditos relativos a depósitos em dinheiro na sua conta pessoal com a finalidade de se desvincular dessas operações e evitar a instauração de investigação sobre os fatos no âmbito do Supremo Tribunal Federal".

Veja também: 




Marcelo Rocha
Época
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...