quarta-feira, 23 de agosto de 2017

PT e PMDB querem manter caixa preta do BNDES


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
O Senado adiou ontem, mais uma vez, a votação de urgência à quebra de sigilos BNDES. A ideia é dar transparência ao banco, que chegou a captar recursos no mercado com juros de mais de 15% para emprestar a menos de 5% às empresas amigas do PT e PMDB, como a JBS/J&F e Odebrecht. O prejuízo no BNDES sequer foi calculado. A bancada petista quer porque quer manter inexpugnável a caixa preta do BNDES.



A diferença na taxa de juros do BNDES resultou em dívida bilionária que será paga pelo contribuinte, no mínimo, até o ano de 2040.

Estava marcada para esta terça (22) a votação da quebra do sigilo do BNDES. Foi adiada de novo. Os políticos devem ter muito a esconder.

O senador petista Lindbergh Farias (RJ) é contra a quebra do sigilo do BNDES, alegando “informações estratégicas”. Para o PT, certamente.

O projeto do senador Lasier Martins (PSD-RS), que quebra o sigilo do BNDES (e também BB e Caixa) está parado desde dezembro de 2016.

Leia também: 
Governo prevê arrecadar R$ 40 bi com a concessão de 57 projetos; veja lista completa
Tribunal rejeita quatro recursos e garante Moro na Lava Jato
Réus condenados em segunda instância na Lava-Jato vão para a prisão cumprir pena
Janot pede o fim da previdência especial para deputados


Veja também:




Cláudio Humberto
Diário do Poder
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...