quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Alvos de operação da PF ligados a Jucá movimentaram R$ 3 bilhões em 2 anos, aponta investigação


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Investigadores da Operação Anel de Giges – que tem entre os alvos filhos e enteados do senador Romero Jucá (PMDB-RR) – identificaram que os suspeitos movimentaram R$ 3 bilhões em 2 anos. O valor bilionário, atribuído a transações feitas por seis investigados que tiveram os sigilos bancários e fiscal quebrados, representa 30% do Produto Interno Bruto (PIB) de Roraima.


As investigações da PF apontam que o terreno onde foi erguido o empreendimento Vila Jardim – projeto executado na capital de Roraima com recursos do programa Minha Casa, Minha Vida – tem ligações com familiares de Jucá, líder do governo no Senado e presidente nacional do PMDB.

Leia também: 

Além disso, os policiais federais encontraram indícios de que o empreendimento imobiliário foi executado pela construtora CMT Engenharia, que é suspeita de ter superfaturado a obra. O superfaturamento investigado no projeto é de R$ 32 milhões.

A Polícia Federal suspeita que foram usados laranjas na transação de venda do terreno no qual foi construído o projeto Vila Jardim.

Procurada pela TV Globo, a assessoria do Ministério Público Federal informou apenas que a investigação está em andamento há 1 ano e meio pelo Núcleo de Combate à Corrupção e que o caso está sob sigilo.

Veja também:




Camila Bomfim

TV Globo
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...