domingo, 17 de setembro de 2017

Dono da Riachuelo pede à procuradora cuja ação vai levar ao desemprego no RN: 'deixe o ódio de lado e nos deixe trabalhar'


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Em um desabafo no Instagram, o principal executivo do grupo Guararapes, Flavio Rocha, dono da Riachuelo, acusou a procuradora Ileana Mousinho, do Ministério Público do Trabalho, de perseguir as confecções têxteis e de querer “fazer mal” ao pai dele, Nevaldo Rocha.



O MPT tem se colocado no caminho das confecções que atuam no interior do Rio Grande do Norte, por entender que seus operários não estão sendo tratados dignamente. Como consequência, o MPT pediu que o grupo Guararapes contrate os trabalhadores e ainda pague uma multa de R$ 38 milhões.

Em seu texto, Flavio Rocha pede que a procuradora Ileana Mousinho “deixe o ódio de lado” e deixe-o, juntamente aos operário terceirizados das confecções, trabalhar em paz.

Leia também:  


Absolvição de Lula na segunda instância é improvável, diz especialista
'O país que eles enganaram durante tanto tempo já não se deixa mais enganar', diz Miriam Leitão sobre os irmãos Batista
Delação da OAS vai deixar Lula e Aécio de joelhos, diz colunista
Mais da metade do ‘quadrilhão’ do PMDB já está presa
Reviravolta no Brasil complica JBS nos Estados Unidos
Congresso articula regras para dificultar delação
'Lula diz que Palocci joga ilícitos em cima dos outros. Imagino como a Dona Marisa reagiria ao ouvir isso', ataca economista
Janaína Paschoal humilha petistas: 'A história mostra que a verdade pode ser tratada como heresia. A Comissão de Ética do PT julgará Palocci conforme a ética de seus membros'
'De companheiro a persona non grata', alfineta Maria Beltrão após Lula xingar Palocci em pleno depoimento
Santander pode perder as contas de todas as igrejas batistas do país após exposição
Delegado descreve condutas de Lula e enquadra 'feministas petistas': 'Cadê vocês agora?'; veja vídeo
'Temer é o chefe do quadrilhão congressual. Que vergonha para o Brasil!', lamenta Levy Fidelix; veja vídeo

Leia o texto do dono da Riachuelo: 

Dr. Ileana Mousinho, eu me dirijo à senhora não como acionista e gestor. Não como dono da Guararapes ou da Riachuelo, mas como porta voz de toda a cadeia produtiva de um setor que é uma vocação do nosso estado. Tecelões, costureiras, operadores de callcenter, motoristas de caminhão, caixas, vendedores, próprios, terceirizados, nos 27 estados da federação.
A maioria, 20%, ainda no RN. Mas já foram, antes da sra. entrar na nossa vida em 2008, mais de 60% só no nosso estado. Eram 20.000 só nessa unidade que o vídeo mostra. Era a maior fábrica de confecção do mundo. Todo o mal que a Sra. pensa que está fazendo ao meu pai Nevaldo, recai sobre esses pais e mães de família do vídeo tantos outros que a Sra. acha que defende.
Desde que a Sra começou a nos perseguir a nossa empresa cresceu muito, mas o RN, para nossa tristeza, pouco tem se beneficiado desse sucesso. Ao nos expulsar do nosso próprio estado, a Sra. nos obrigou a construir novas fábricas em outros estados e países que nos recebem com o respeito que merece quem cria empregos e riquezas. É em nome deles, Doutora, que pedimos que pare e nos deixe trabalhar. A Sra. tem sistematicamente enviado denuncias infundadas a todas as delegacias do MPT de todos os estados. Com exigências absurdas que não faz a nenhum dos nossos concorrentes. Por que só nós?
Agora, tenho sido informado por jornalistas de grandes órgãos de imprensa que a Sra ocupa o seu tempo para pautar jornais e redes de TV nacionais com injúrias a respeito da Guararapes, sobre minha pessoa e até sobre minha família. Por que tanto ódio, Dra? Estive com a Sra. por alguns minutos quando tudo isso começou. Tentei já naquele momento, mostrar o dano que iria causar. Tentei mostrar-lhe o que considero ser a minha missão nessa passagem terrena que é transformar o RN na “Galícia Potiguar”. Vejo que não consegui, mas o sonho não morreu. O nosso setor tem o potencial de transformar a realidade socioeconômica do RN. Basta que a Sra deixe o ódio de lado e nos deixe trabalhar.


Veja também:






Agora RN
Editado por Política na Rede 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...