quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Procurador no DF afirma que multa aplicada a irmãos Batista não cobre prejuízos no BNDES


Imagem: Claudio Belli / Valor Econômico
No documento no qual a Procuradoria da República no Distrito Federal questiona a extensão dos benefícios dados Joesley (na foto, à esquerda) e Wesley Batista, o procurador Ivan Marx afirma que o valor da multa aplicada não chega nem perto de cobrir o dano causado pelas fraudes no BNDES.



De acordo com Marx, o estrago no banco de fomento foi de mais de R$ 1 bilhão, envolvendo pelo menos seis transações com a J&F. A multa ficou em R$ 100 milhões para cada um dos irmãos Batista.

Leia também: 

Promotor destrói o mito do encarceramento em massa
Janot deveria ter renunciado, diz editorial do Estadão
Prisão de Joesley e cúmplices pode ser iminente
Gilmar Mendes alfineta Janot: 'ele quis um grand finale e coroa sua gestão com a JBS'
Gleisi diz que denúncia tenta desviar a atenção das malas de dinheiro... de ex-ministro de Lula


Essas operações são investigadas pela Operação Bullish, na primeira instância.

A avaliação foi feita pelo procurador em parecer dado sobre pedido da defesa para estender os benefícios concedidos pela PGR a outras investigações envolvendo Joesley e Wesley. O documento foi assinado ontem, mas antes de Rodrigo Janot revelar em coletiva a existência de áudios que podem cancelar todos os benefícios.


Veja também:



 
 

Juliana Braga
O Globo
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...