quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Sem diploma, Joesley pode ficar preso em cela comum


Imagem: Reprodução / Redes Sociais
Se transferido da Polícia Federal (PF) de Brasília para um presídio comum, o executivo da J&F Joesley Batista terá que ficar encarcerado numa cela comum. Isto porque Joesley não tem diploma de ensino superior.



No Brasil, a legislação prevê condições diferentes para a prisão em caráter provisório (antes do julgamento). Por isso, presos com ensino superior podem ficar em prisão especial. Ou seja, separados de "presos comuns".

Leia também:  

Enquanto atenções se voltam para Lula e Dirceu, Câmara votará fundo para campanhas
'Exército de Lula' treina cordão de isolamento para receber o ex-presidente réu em Curitiba
Consulta pública sobre revogação do Estatuto do Desarmamento já tem mais de 100 mil apoios


Por enquanto, não há perspectiva de transferência do bilionário. A prisão temporária dele foi decretada no último domingo pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), e tem validade de 5 dias úteis.

A decisão foi tomada a partir do pedido de prisão do empresário feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O procurador entendeu que Joesley omitiu informações dos investigadores em sua delação premiada, o que quebraria as cláusulas do acordo de colaboração firmado junto à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Em perfil da revista "Piauí", publicado em fevereiro de 2015, o empresário disse que aprendeu a administrar as empresas e frigoríficos "na prática" e diz que nunca fez cursos de administração ou contabilidade.

Também sem diploma, Eike Batista chegou a ficar preso em cela comum no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio.

Veja também:






 

Gustavo Schmitt
O Globo
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...