segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Engenheiro da Odebrecht que coordenou reforma no sítio de Atibaia entrega planilha com gastos de R$ 700 mil


Imagem: Reprodução / TV Globo
O engenheiro Emyr Diniz Costa Junior, um dos delatores da Odebrecht, entregou à Justiça Federal do Paraná uma planilha que relaciona gastos de R$ 700 mil que, segundo ele, foram destinados pelo departamento de propina da empreiteira para custear a compra de materiais de construção para a reforma feita do sítio de Atibaia, que beneficiaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.




A planilha discrimina quatro lançamentos entre os dias 16 e 30 de dezembro de 2010, último ano do governo Lula - de R$ 380 mil, R$ 120 mil, R$ 197,9 mil e R$ 2,1 mil com o título "Aquapolo". Emyr disse que recebeu em dinheiro no Projeto Aquapolo, no ABC paulista, onde trabalhava na época, os valores enviados pela equipe de Hilberto Silva, que chefiava o departamento de propina.

Leia também: 

Até então, não havia prova de que os valores gastos no sítio tinham saído do departamento de propina da Odebrecht. Além da empreiteira, também fizeram obras no sítio a OAS e o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o documento apresentado pelo colaborador foi localizado pela equipe de perícia nos discos rígidos fornecidos pela empreiteira.

O Ministério Público Federal também apresentou a Moro pedido para que sejam ouvidos novamente quatro delatores da Lava-Jato: o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, o ex-diretor Nestor Cerveró, o empresário Ricardo Pessoa, dono da UTC, e o executivo da Odebrecht Márcio Faria.

Na denúncia, os procuradores dizem que Lula recebeu o benefício de obras no sítio como parte da propina por contratos da Petrobras que somam R$ 155 milhões.

Pedro Barusco deverá ser ouvido sobre propinas pagas pelo consórcio Gasam, responsável pelas obras do gasoduto Pilar-Ipojuca. O dono da UTC deverá falar sobre propinas relacionadas ao consórcio TUC e Márcio Faria falará sobre propinas da Refinaria Abreu e Lima.

Os procuradores dizem que Cerveró será ouvido para esclarecer a participação de Lula na nomeação dele para a diretoria internacional da Petrobras e, num segundo momento, para a diretoria financeira da BR Distribuidora. Depoimentos prestados por delatores em outros processos serão adicionados à ação referente ao sítio de Atibaia.

Veja também:






Gustavo Schmitt e Cleide Carvalho
O Globo
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...