sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Não viemos negociar, mas defender decisão, diz Arraes em reunião do PT


Imagem: Nathan Lopes / UOL
Vestindo uma camiseta com a expressão "meu santo é forte", a vereadora recifense Marília Arraes (PT) participará nesta sexta-feira (3), em São Paulo, da reunião do diretório nacional do partido em que tentará salvar sua candidatura ao governo de Pernambuco.


Na quarta-feira (1º), o partido fechou aliança com o PSB, o que faria os petistas abrirem mão da candidatura de Marília. Na noite desta quinta, porém, o diretório estadual do PT aprovou a candidatura da vereadora ao governo do estado, criando uma saia-justa para o partido.

Leia também: 

"A gente não está aqui para negociar. Estamos aqui para defender a decisão que a base votou e respaldou no encontro partidário de ontem", disse Marília ao chegar à reunião do diretório nacional em um hotel no centro de São Paulo. "A gente está aqui para defender a candidatura." A vereadora ressaltou ainda que o PT "só é do tamanho que é" por causa do diálogo com as bases.

A mensagem na camiseta, segundo ela, mostra uma "realidade". "Porque, diante de todas as adversidades, a gente conseguiu reanimar a base para ir para a luta. Construímos uma campanha sem grande estrutura, sem máquina, com todo bombardeio e criminalização da política", disse ela.

Sobre a possibilidade de reverter a decisão da executiva do PT, Marília disse "não trabalhar com futurologia". "Cada dia na sua agonia", afirmou ela, se dizendo otimista. "Vamos para o diálogo bom".

Essa é a primeira vez que Marília encontra a direção do PT depois que o partido fechou apoio ao PSB. Para ela, o que há é uma divergência em relação "à tática". "Temos muito mais convergências que divergências", e cita que não houve a formalização da aliança entre os dois partidos.

Na última pesquisa de intenção de voto, do Instituto Datamétrica, Marília aparece tecnicamente empatada com o atual governador, Paulo Câmara (PSB), e Armando Monteiro (PTB).

Marília também negou que possa deixar o PT ou que aceite disputar cargo para deputada federal em caso de uma negativa na reunião desta sexta. "Não entrei no PT para me utilizar da legenda. É o maior partido da esquerda."

A Executiva do PT está dividida em relação ao caso de Marília. Uma votação será realizada nesta sexta-feira. A expectativa é que a decisão inicial, de tirá-la da disputa, seja confirmada. O caso envolvendo Pernambuco, porém, deve voltar à pauta durante a convenção nacional, marcada para sábado (4), em São Paulo.

Veja também:





Nathan Lopes
UOL
Editado por Política na Rede
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...